terça-feira, 3 de abril de 2018

sábado, 3 de março de 2018

Conheça o relatório de Primeiro Fórum da dança de Atibaia.

De 21 a 29 de outubro de 2017 aconteceu o Primeiro Fórum da Dança de Atibaia. Foi um momento importante para o segmento, onde bailarinos, professores e demais interessados puderam trocar experiências sobre a área.

sábado, 30 de dezembro de 2017

1 Fórum da Dança de Atibaia

Inês Bogea, da São Paulo Cia de Dança, na palestra
inaugural do 1o Fórum de Dança de Atibaia.




















Na semana de 21 a 29 de Outubro de 2017 aconteceu o 1 Fórum da Dança de Atibaia.  Foi a oportunidade de fazer uma reflexão sobre o segmento da Dança em nosso município: Como ela esta? Qual a importância de ter uma Escola Municipal e um Corpo Municipal de Dança na cidade? Quais as vantagens para Atibaia e cidades vizinhas? Por que criar um Plano Municipal de Dança? Foi também a oportunidade de dar visibilidade e detalhar os objetivos do projeto As Linguagens da Dança a educadores, terapeutas, alunos das escolas públicas, pais e mesmo aos participantes.



Programa e crachá do evento
O Fórum começou dia 21 de outubro, sábado, com a apresentação da Dança Moderna, reunindo os integrantes do Corpo Municipal de Dança. Foram duas apresentações. No dia seguinte, às 13h teve inicio o cadastramento dos interessados. Itaís Dutra, do Cerimonial da Prefeitura, fez a abertura oficial do Fórum. Estiveram presentes autoridades como a Secretária de Cultura Viviane Cocco, a Secretária de Educação Márcia Bernardes e a Vereadora Roberta Barsotti. Élsie da Costa, idealizadora e coordenadora do projeto salientou que a realização do Fórum estava previsto desde o inicio, em 2014, como um quarto eixo de ação, visando aprofundar e debater os rumos do projeto e do segmento artístico da dança no município. A vereadora Roberta Barsotti falou da importância do Fórum e do desejo de ver ações como essa abrangendo outras artes. Viviane Cocco destacou o fato de se pensar no Plano Municipal de Dança para o município e para o Sistema Municipal de Cultura. Após a entrega das flores, Inês Bogéa deu inicio a palestra destacando que “hoje inicia-se um novo tempo para a cidade de Atibaia, muitas pessoas mobilizaram-se e esforçaram-se para que o Fórum pudesse acontecer na cidade, e que, as pessoas aqui presentes estão criando juntas uma nova dança coletiva por se mobilizarem para estarem aqui, em pleno domingo e que sendo assim, é de fundamental importância que as escolas e as secretarias se mobilizem também. Esse início merece uma comemoração, pois, isso é que nos faz mais vivos”. A palestra abordou a História da Dança utilizando de material videográfico da “São Paulo Cia de Dança” onde vários profissionais de renome falam sobre o desenvolvimento da dança até os nossos dias. Ao abrir para perguntas o público se manifestou com interesse levantando questionamentos importantes, principalmente a respeito da dança no Brasil. Após a palestra o Fórum teve continuidade com o primeiro workshop oferecido pela própria ”São Paulo Cia de Dança”. Os próximos sete dias foram dedicados aos workshops que reuniram profissionais da dança da cidade e de fora, tratando de diferentes temas e enfoques: Da Gestualidade na Dança e na Música Brasileira na Cultura da Infância, de Lucilene Silva (São Paulo) à Dança Inclusiva para Portadores de Deficiência, com Keyla Ferrari (São Paulo). Da cidade participaram Claudia Parolin, Taya Perrone, Helly Calzado, Tassiana G. R. Alves, Irany Sguillaro, Marcela Sguillaro, Heydi Milhose, Kelly Obara, La Cubanita, Claudio Terrana, Thaís Magalhães, Mayara Pinzan, Chris Alcântara e Michele Maidame. No último dia aconteceu o Workshop Ações Corporais Básicas (Sistema Laban) com Élsie da Costa e Diálogo Corporal Musical Cênico, com Dalga Larrondo e Valéria Franco, do TUGUDUM (Campinas). Destaque para a Mostra de Dança de Atibaia, que aconteceu na quarta, dia 25, dando inicio a Temporadas da Dança de Atibaia. A Temporada de Dança foi recentemente oficializada, através da vereadora Roberta Barsotti, e atendeu uma reinvindicação da classe que preiteava a unir as diversas apresentações que já ocorrem nos finais de ano das diversas academias da cidade, num só período do ano. Outras ações importantes do Fórum foram às realizações dos Grupos de Trabalho (GT), que abordaram deferentes temas: Dança Moderna, Métodos, Sistemas e Técnica, Metodologias das aulas de Balé Clássico e Elaboração do Plano Municipal de Dança. Na avaliação geral o 1 Fórum de Dança de Atibaia traz um resultado bastante positivo para o segmento da dança na cidade, com propostas objetivas que podem ser encaminhadas futuramente ao Plano Municipal de Cultura:

Proposta de oficialização e municipalização por meio de Lei, da Escola Municipal como equipamento público e diretrizes que contemplem curso básico, intermediário e avançado, incluindo-se ações de cursos complementares, e formativas, tanto de alunos, como de artistas e profissionais da área, bem como de eventos específicos gerados pela Escola, participação em concursos e festivais.

Abertura do novo espaço para iniciar a Escola Municipal de Dança, junto ao Centro Cultural André Carneiro.

Ampliação futura da escola, com salas para aulas simultâneas e aulas diárias, com diversas técnicas.

Criação do Corpo Municipal de Dança como corpo estável, com ajuda de custo para os bailarinos;

Formação artística e núcleo de estudos, workshops de interação dos profissionais locais (trocas de saberes), Workshops de reciclagem (com outros profissionais de fora);

Fórum de Debates Sobre a dança (palestras e mesas redondas);

Fomento e Criação de Premiação para projetos cênicos da Dança das escolas, academias, núcleos e grupos existentes (editais e prêmios);

Mostra Municipal (das criações fomentadas);

Mostras e Festivais de Dança, locais, regionais, nacionais e porque não (?), internacionais.

Criação de uma comissão da sociedade civil que seja produtiva e influente na condução da escola, pois, caso se municipalize não fique somente com a condução do funcionalismo público de forma que sociedade possa contribuir.

Criar ações especificamente para pessoas com deficiências estarem incluídas na dança.

Melhoria dos espaços cênicos, ou seja, palco, camarins e cochias  com acessibilidade para que os portadores de deficiência possam ter mais possibilidades de se expressarem artisticamente. Desta forma estando realmente inclusos não só como expectadores, mas também como artistas.

Adequação para uso dos equipamentos públicos, considerando a acessibilidade e condições de uso e operação técnica de luz e som, condução, segurança, tanto em espaços abertos como demais espaços (Centro de Convenções Victor Brecheret, do Cine Itá). Precisamos ter locais e condições para apresentação.



Workshop com o bailarino Milton Coatte, da São Paulo Companhia de Dança


quarta-feira, 18 de outubro de 2017

São Paulo Companhia de Dança no 1o Fórum de Dança de Atibaia











No próximo domingo, dia 22, a cidade recebe Inês Bogéa no 1º Fórum de Dança de Atibaia. Inês é diretora da São Paulo Companhia de Dança (SPCD) criada em janeiro de 2008 pelo Governo do Estado de São Paulo. Seu repertório contempla remontagens de obras clássicas e modernas, além de peças inéditas, criadas especificamente para o seu corpo de bailarinos. A companhia traz para Atibaia duas atividades dentro da programação do 1º Fórum da Dança: A palestra A Escrita da Dança, às 15h30, ministrada por Inês Bogéa e a Oficina Repertório em Movimento, com Milton Coatti, professor ensaiador da SPCD, às 17h00. Na palestra A Escrita da Dança, os participantes assistem ao DVD de mesmo nome, produzido pela São Paulo Companhia de Dança, que fala sobre a história da dança cênica ocidental em suas principais vertentes – clássica, moderna e contemporânea, mostrando as diferentes maneiras pelas quais o corpo se organiza no espaço e as inter-relações entre esses estilos cênicos. Após a exibição, Inês Bogéa conversa com o público sobre o tema. Já na Oficina de Repertório em Movimento, os alunos poderão vivenciar trechos de coreografias que compõem o repertório da SPCD. É uma oportunidade única para quem é da cidade e região conhecer o que de melhor se produz no Brasil na linguagem da dança. ”Para nós é uma alegria fazer a SPCD presente nos mais diversos municípios, esse é um dos nossos principais objetivos enquanto companhia de dança do Governo do Estado”, relata Inês Bogéa.

São Paulo Companhia de Dança
A Companhia já percorreu 62 cidades do Estado de São Paulo, 17 municípios do Brasil, e 37 cidades do exterior em 16 países, em mais de 700 espetáculos vistos por um público de mais de 600.000 pessoas, com grande sucesso de crítica e público. A SPCD atua em três vertentes: difusão da dança, atividades educativas e de formação de plateia para dança, e registro e memória da dança. “Seu carisma e originalidade são incríveis”, diz Dietholf Zerweck (Alemanha). Para a crítica da TANZ Magazine, Nicole Strecker, a SPCD fez o melhor espetáculo apresentado em Colônia (Alemanha) em 2017, que lhe rendeu uma indicação ao prêmio Tanz Jahrbuch. Ainda neste ano, a Companhia foi premiada em Gütersloh (Alemanha) com o Gütesiegel 2016/2017 na categoria Melhor Performance do Ano e Melhor Companhia de Dança pelo voto popular. No Brasil, foi indicada ao Prêmio APCA nas categorias Melhor Interpretação e Coreografia/Criação. Ao longo de sua trajetória, a São Paulo recebeu diversas premiações pelo Guia da Folha como Melhor Espetáculo de Dança pela escolha do público (2016 e 2015) e como Melhor Espetáculo de Dança pela escolha do júri (2016, 2014, 2013 e 2012). Em 2012, a revista Veja São Paulo elegeu Bachiana nº 1, de Rodrigo Pederneiras, como Melhor Espetáculo de Dança.

Foto: Reginaldo Azevedo
Inês Bogéa
Inês é Diretora da São Paulo Companhia de Dança. Doutora em Artes (Unicamp, 2007), bailarina, documentarista, escritora e professora no curso de especialização Arte na Educação: Teoria e Prática da Universidade de São Paulo (USP). De 1989 a 2001, foi bailarina do Grupo Corpo (Belo Horizonte). Foi crítica de dança da Folha de S. Paulo de 2001 a 2007. É autora dos livros infantis: O livro da dança; Contos do balé e Outros Contos do balé. Organizadora dos livros Oito ou Nove Ensaios sobre o Grupo Corpo; Passado-Futuro – Textos e fotos sobre a São Paulo Companhia de dança, entre outros. Na área de arte-educação foi consultora da Escola de Teatro e Dança Fafi (2003-2004) e consultora do Programa Fábricas de Cultura da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (2007-2008). É autora de mais de quarenta documentários sobre dança, entre eles Renée Gumiel, A Vida na Pele (2005), Maria Duschenes - o espaço do movimento (2006), e da série Figuras da Dança da SPCD

O 1º Fórum de Dança de Atibaia, que acontece de 21 a 29 de outubro é uma realização do projeto As Linguagens da Dança, parceria entre o Instituto Garatuja e a Prefeitura da Estância de Atibaia através da Secretaria de cultura e Eventos.  Para participar é so se credenciar no local do evento ou inscrever-se pelo e-mail : garatuja.arte@ig.com.br. As atividades são gratuitas e acontecem no Centro de Convenções e Eventos Victor Brecheret (Alameda Lucas Nogueira Garcez, 511 – Vila Thais).

SÃO PAULO COMPANHIA DE DANÇA EM ATIBAIA
Palestra A Escrita da Dança, com Inês Bogéa, diretora artística da SPCD, e Oficina Repertório em Movimento, com Milton Coatti, professor ensaiador da Companhia.

Palestra A Escrita da Dança
Dia 22 de outubro | domingo, às 15h30
Centro de Convenções e Eventos Victor Brecheret
Endereço: Alameda Lucas Nogueira Garcez, 511 – Vila Thais
Telefone: (11) 4412-7776
Duração: 60 minutos
Ingressos: Grátis mediante credenciamento no evento.
Classificação Indicativa: 14 anos.

Oficina Repertório em Movimento
Dia 22 de outubro | domingo, às 17h00
Centro de Convenções e Eventos Victor Brecheret
Endereço: Alameda Lucas Nogueira Garcez, 511 – Vila Thais
Telefone: (11) 4412-7776
Duração: 60 minutos
Inscrições pelo e-mail garatuja.arte@ig.com.br
Classificação Indicativa: 14 anos.
Número de vagas: 30

sábado, 14 de outubro de 2017

As Linguagens da Dança realiza Mostra de Dança Moderna


























Acontece no próximo sábado, dia 21 de outubro, no Centro de Convenções Victor Brecheret a Mostra de Dança Moderna, resultados do trabalho realizado neste ano pelos cursos do projeto. A apresentação faz parte da programação do 1o Fórum de dança de Atibaia. São diversas coreografias de estilos diferentes, dentre eles, dança moderna com a técnica de Grahan, Sapateado, Jazz, Dança do Ventre, e outras composições feitas a partir da expressão dos próprios participantes. As danças mostram maneiras diferentes tanto nos processos de criação como nos resultados. O sapateado country e o jazz, dos cursos livres, e a técnica de Grahan com coreografias são marcadas pelos coreógrafos. Outros resultados cênicos mostram processos de criação vindos do íntimo de cada participante. No projeto As linguagens da Dança são praticadas diferentes métodos, sistemas e técnicas para que os participantes se desenvolvam na arte do movimento, técnica e criativamente. Praticam exercícios específicos para motivar a criatividade. Participam do projeto contribuindo com uma diversidade de conhecimentos professores de várias academias, e grupos independentes, como do Núcleo Nuaar, do Yin Contrar-se, do Projeto Mu-Danças, das academias, Lucena, Coppelia e Sapatearte. No Jazz, Michelle Maidame da academia Coppelia, no sapateado, Irany Sguillaro da Sapatearte, na dança do ventre Taya Perrone, no sapateado infanto-juvenil Mayara Pinzan, no sistema proposto por Rudolf Laban Élsie da Costa, na técnica de Grahan o Claudio Terrana, em técnicas associadas para dança e educação somática a Claudia Parolin. As apresentações neste ano não partiram de um tema único, deixando os professores livres para compor como quisessem. De forma surpreendente quase todos buscaram o aprofundamento nos processos pessoais dos participantes mostrando que a equipe de professores vem ano a ano buscando se sintonizar mostrando amadurecimento quanto à proposta do projeto. À frente do projeto, Élsie da Costa acredita que a participação conjunta proporciona um crescimento para a área da dança como um todo.

Mostra de Dança Moderna
Dia 21, às 17 e 20 horas
no Centro de Convenções Victor Brecheret
Entrada gratuita
Os convites  serão distribuídos no local, com uma hora de antecedência e por ordem de chegada. 

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Dança para Pessoas com Deficiência


No sábado, dia 28 de outubro, o 1o Fórum de Dança de Atibaia recebe a oficina Dança para Pessoas com Deficiência. Voltada para a sensibilização de educadores e artistas, a oficina será conduzida pela educadora Keyla Ferrari a partir de vivências significativas e da conscientização do corpo e do movimento criativo. A proposta é que as experiências passadas possam ser aplicadas no cotidiano inclusivo, artístico, educativo e a todos os corpos e condições intelectuais, motoras ou sensoriais diferenciadas. Keyla Ferrari é bailarina e pedagoga, atuando na área da dança para pessoas com e sem deficiência desde 1995. É especialista em Atividade Motora Adaptada, em Educação Especial, Mestre em Atividade física Adaptação e Saúde, formadora atuante no Brasil, Itália, Suíça e Portugal e autora de livros e artigos sobre a temática da dança e da arte á favor da inclusão. É Presidente Fundadora do Ponto de Cultura Centro de Dança Integrado, em Campinas e membro do Conselho Internacional da Dança da UNESCO. O 1o Fórum de Dança de Atibaia acontece de 21 a 29 de outubro. A proposta é ser um espaço de articulação, reflexão, troca de experiências e debates sobre o segmento da dança no município, além de abrigar workshops e apresentações. A realização do Instituto Garatuja e da Prefeitura da Estância de Atibaia através da Secretaria de Cultura e Eventos por meio de convênio. Todas as atividades são gratuitas. Participe!

Saiba mais:





sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Diálogo Corpóreo Musical Cênico no 1o Fórum de Dança de Atibaia...











De 21 a 29 de outubro acontece o 1o Fórum de Dança de Atibaia. O Fórum é um espaço de articulação, reflexão, troca de experiências e debates sobre o segmento da dança no município, mas também abre espaço para apresentações, workshops e oficinas. No último dia do evento, domingo, dia 29, acontece a oficina Diálogo Corpóreo Musical Cênico, proposta de João Carlos Dalgalarrondo  e Valéria Franco do TUGUDUM de Campinas. Na primeira parte da oficina serão oferecidas técnicas de percussão com utilização de baquetas, mãos e pés para o desenvolvimento da coordenação rítmica, além de exercícios de ações percussivas como tocar, chacoalhar e raspar (Duração de 1 hora). Na segunda parte vem o aquecimento corporal envolvendo exercícios de educação somática, jogos de dança e experimentação de movimentos usando espaço, tempo, fluência e o peso (Duração de 1 hora). Por fim os exercícios mesclando a linguagem corporal e musical com jogos artísticos na criação de pequenas cenas envolvendo a relação do som com o movimento (Duração 2 horas). O 1o Forúm de Dança de Atibaia acontece dentro do projeto As Linguagens da Dança, realização do Instituto Garatuja e da Prefeitura da Estância de Atibaia através da Secretaria de Cultura e Eventos por meio de convênio. Todas as atividades são gratuitas. Participe!

Currículos

João Carlos Dalgalarrondo (nome artístico: DALGA LARRONDO)
Percussionista formado no Conservatório Nacional de Rueil-Malmaison - França. (1983), atualmente toca no grupo “Novo Ovo Novo”, banda “Hos Tio” e no “Duo Gás Carbônico e Oxigênio”, e dirige a Cia Tugudum ao lado da bailarina e coreógrafa Valéria Franco, atuando como criador-intérprete do espetáculo “Dr. Plástico – batucando nos polímeros” e “Cuidado que Pega!” patrocinado pelo Fundo de Investimentos Culturais de Campinas (FICC). Estudou percussão com Cláudio Stephan (Conservatório do Broklim Paulista)– (1976) e Luís Anunciação (1978) Orquestra Sinfônica Brasileira – Brasil e obteve sua graduação universitária em música na Faculdade Mozarteum de São Paulo em 1991. Compositor da música original do espetáculo de dança contemporânea “Corpo Fora”, atuou ao lado da bailarina Valéria Franco nos espetáculos “Ora Bolas” (estreou no FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica em Portugal), “Percussão para quem gosta”, entre outros. Foi Percussionista da Orquestra Sinfônica de Campinas entre 1975 e 1980. Lecionou durante sete anos ritmo e percussão no Departamento de Artes Corporais da Universidade de Campinas (UNICAMP) de 1985 a 1992. Foi vencedor do I Concurso Firestone de Música Criativa com duas peças de sua autoria "Mãos" e "O móvel" (1992). Participou como dos grupos: " Anima", e Duo "Toca Aqui" e como intérprete solista e compositor dos mais importantes festivais nacionais e internacionais tais como “PERC PAN” – Brasil, “International Percussion Festival” - Tucson – USA, “Sonidos de la América” Carnegie Hall N.Y.

Valéria Franco de Almeida ( nome artístico: VALÉRIA FRANCO)
Realiza as produções dos espetáculos da Cia Tugudum desde 1999. Formada em dança pela Unicamp em 1990.  Ministra aulas de Dança Contemporânea na Cia Tugudum, onde também desenvolve um trabalho de pesquisa da interação das linguagens da dança, música e teatro, fundamentado em educação somática e improvisação. Possui um intenso repertório de espetáculos autorais descritos abaixo: 2016 e 2017 – projeto “H quase dois Ó” criação e temporada de 17 apresentações Diretora da Cia. Tugudum, foi contemplada entre outros pelos  editais: Edital Cultura 2014 – circulação “ Cuidado que Pega”, 2013-Edital FICC – montagem e circulação do espetáculo para bebês “Dança uma história?”, 2010 – Pro - Cultura Funarte – Deguste Tugudum, 2009 - Edital FICC- Prefeitura de Campinas para montagem e circulação do espetáculo “Cuidado que Pega”, 2008 – Funarte Klauss Vianna para manutenção de companhia projeto “O que é que a dança é?”. 2007 - Edital FICC – Prefeitura de Campinas com subvenção para montagem do espetáculo de Dança Contemporânea “Corpo Fora”. 2006 – Edital da Caixa Econômica de Brasília, dentro do projeto “Roda Girando Diálogos  de Dança”, realizado em maio de 2007. Dirige e atua nos seguintes espetáculos: “Dança uma história?” (2013), “Cuidado que Pega” “Corpo Fora” (2007)“O que te mantém de pé” (2005), “A Bola e a Boneca” (2002), “Segunda-feira” (2000), “Ora Bolas” (Estreou em 2004 no FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica, realizado na cidade do Porto, em Portugal), “Percussão pra quem gosta” (Vencedor do I Prêmio Firestone, realizado em Londrina – PR, 1992).

Oficina Diálogo Corpóreo Musical Cênico
Com João Carlos Dalgalarrondo  e Valéria Franco
Dia 29 de outubro, domingo
No Centro de Convenções Victor Brecheret
A partir das 14 horas.
Participe!