sábado, 14 de outubro de 2017

As Linguagens da Dança realiza Mostra de Dança Moderna


























Acontece no próximo sábado, dia 21 de outubro, no Centro de Convenções Victor Brecheret a Mostra de Dança Moderna, resultados do trabalho realizado neste ano pelos cursos do projeto. A apresentação faz parte da programação do 1o Fórum de dança de Atibaia. São diversas coreografias de estilos diferentes, dentre eles, dança moderna com a técnica de Grahan, Sapateado, Jazz, Dança do Ventre, e outras composições feitas a partir da expressão dos próprios participantes. As danças mostram maneiras diferentes tanto nos processos de criação como nos resultados. O sapateado country e o jazz, dos cursos livres, e a técnica de Grahan com coreografias são marcadas pelos coreógrafos. Outros resultados cênicos mostram processos de criação vindos do íntimo de cada participante. No projeto As linguagens da Dança são praticadas diferentes métodos, sistemas e técnicas para que os participantes se desenvolvam na arte do movimento, técnica e criativamente. Praticam exercícios específicos para motivar a criatividade. Participam do projeto contribuindo com uma diversidade de conhecimentos professores de várias academias, e grupos independentes, como do Núcleo Nuaar, do Yin Contrar-se, do Projeto Mu-Danças, das academias, Lucena, Coppelia e Sapatearte. No Jazz, Michelle Maidame da academia Coppelia, no sapateado, Irany Sguillaro da Sapatearte, na dança do ventre Taya Perrone, no sapateado infanto-juvenil Mayara Pinzan, no sistema proposto por Rudolf Laban Élsie da Costa, na técnica de Grahan o Claudio Terrana, em técnicas associadas para dança e educação somática a Claudia Parolin. As apresentações neste ano não partiram de um tema único, deixando os professores livres para compor como quisessem. De forma surpreendente quase todos buscaram o aprofundamento nos processos pessoais dos participantes mostrando que a equipe de professores vem ano a ano buscando se sintonizar mostrando amadurecimento quanto à proposta do projeto. À frente do projeto, Élsie da Costa acredita que a participação conjunta proporciona um crescimento para a área da dança como um todo.

Mostra de Dança Moderna
Dia 21, às 17 e 20 horas
no Centro de Convenções Victor Brecheret
Entrada gratuita
Os convites  serão distribuídos no local, com uma hora de antecedência e por ordem de chegada. 

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Dança para Pessoas com Deficiência


No sábado, dia 28 de outubro, o 1o Fórum de Dança de Atibaia recebe a oficina Dança para Pessoas com Deficiência. Voltada para a sensibilização de educadores e artistas, a oficina será conduzida pela educadora Keyla Ferrari a partir de vivências significativas e da conscientização do corpo e do movimento criativo. A proposta é que as experiências passadas possam ser aplicadas no cotidiano inclusivo, artístico, educativo e a todos os corpos e condições intelectuais, motoras ou sensoriais diferenciadas. Keyla Ferrari é bailarina e pedagoga, atuando na área da dança para pessoas com e sem deficiência desde 1995. É especialista em Atividade Motora Adaptada, em Educação Especial, Mestre em Atividade física Adaptação e Saúde, formadora atuante no Brasil, Itália, Suíça e Portugal e autora de livros e artigos sobre a temática da dança e da arte á favor da inclusão. É Presidente Fundadora do Ponto de Cultura Centro de Dança Integrado, em Campinas e membro do Conselho Internacional da Dança da UNESCO. O 1o Fórum de Dança de Atibaia acontece de 21 a 29 de outubro. A proposta é ser um espaço de articulação, reflexão, troca de experiências e debates sobre o segmento da dança no município, além de abrigar workshops e apresentações. A realização do Instituto Garatuja e da Prefeitura da Estância de Atibaia através da Secretaria de Cultura e Eventos por meio de convênio. Todas as atividades são gratuitas. Participe!

Saiba mais:





sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Diálogo Corpóreo Musical Cênico no 1o Fórum de Dança de Atibaia...











De 21 a 29 de outubro acontece o 1o Fórum de Dança de Atibaia. O Fórum é um espaço de articulação, reflexão, troca de experiências e debates sobre o segmento da dança no município, mas também abre espaço para apresentações, workshops e oficinas. No último dia do evento, domingo, dia 29, acontece a oficina Diálogo Corpóreo Musical Cênico, proposta de João Carlos Dalgalarrondo  e Valéria Franco do TUGUDUM de Campinas. Na primeira parte da oficina serão oferecidas técnicas de percussão com utilização de baquetas, mãos e pés para o desenvolvimento da coordenação rítmica, além de exercícios de ações percussivas como tocar, chacoalhar e raspar (Duração de 1 hora). Na segunda parte vem o aquecimento corporal envolvendo exercícios de educação somática, jogos de dança e experimentação de movimentos usando espaço, tempo, fluência e o peso (Duração de 1 hora). Por fim os exercícios mesclando a linguagem corporal e musical com jogos artísticos na criação de pequenas cenas envolvendo a relação do som com o movimento (Duração 2 horas). O 1o Forúm de Dança de Atibaia acontece dentro do projeto As Linguagens da Dança, realização do Instituto Garatuja e da Prefeitura da Estância de Atibaia através da Secretaria de Cultura e Eventos por meio de convênio. Todas as atividades são gratuitas. Participe!

Currículos

João Carlos Dalgalarrondo (nome artístico: DALGA LARRONDO)
Percussionista formado no Conservatório Nacional de Rueil-Malmaison - França. (1983), atualmente toca no grupo “Novo Ovo Novo”, banda “Hos Tio” e no “Duo Gás Carbônico e Oxigênio”, e dirige a Cia Tugudum ao lado da bailarina e coreógrafa Valéria Franco, atuando como criador-intérprete do espetáculo “Dr. Plástico – batucando nos polímeros” e “Cuidado que Pega!” patrocinado pelo Fundo de Investimentos Culturais de Campinas (FICC). Estudou percussão com Cláudio Stephan (Conservatório do Broklim Paulista)– (1976) e Luís Anunciação (1978) Orquestra Sinfônica Brasileira – Brasil e obteve sua graduação universitária em música na Faculdade Mozarteum de São Paulo em 1991. Compositor da música original do espetáculo de dança contemporânea “Corpo Fora”, atuou ao lado da bailarina Valéria Franco nos espetáculos “Ora Bolas” (estreou no FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica em Portugal), “Percussão para quem gosta”, entre outros. Foi Percussionista da Orquestra Sinfônica de Campinas entre 1975 e 1980. Lecionou durante sete anos ritmo e percussão no Departamento de Artes Corporais da Universidade de Campinas (UNICAMP) de 1985 a 1992. Foi vencedor do I Concurso Firestone de Música Criativa com duas peças de sua autoria "Mãos" e "O móvel" (1992). Participou como dos grupos: " Anima", e Duo "Toca Aqui" e como intérprete solista e compositor dos mais importantes festivais nacionais e internacionais tais como “PERC PAN” – Brasil, “International Percussion Festival” - Tucson – USA, “Sonidos de la América” Carnegie Hall N.Y.

Valéria Franco de Almeida ( nome artístico: VALÉRIA FRANCO)
Realiza as produções dos espetáculos da Cia Tugudum desde 1999. Formada em dança pela Unicamp em 1990.  Ministra aulas de Dança Contemporânea na Cia Tugudum, onde também desenvolve um trabalho de pesquisa da interação das linguagens da dança, música e teatro, fundamentado em educação somática e improvisação. Possui um intenso repertório de espetáculos autorais descritos abaixo: 2016 e 2017 – projeto “H quase dois Ó” criação e temporada de 17 apresentações Diretora da Cia. Tugudum, foi contemplada entre outros pelos  editais: Edital Cultura 2014 – circulação “ Cuidado que Pega”, 2013-Edital FICC – montagem e circulação do espetáculo para bebês “Dança uma história?”, 2010 – Pro - Cultura Funarte – Deguste Tugudum, 2009 - Edital FICC- Prefeitura de Campinas para montagem e circulação do espetáculo “Cuidado que Pega”, 2008 – Funarte Klauss Vianna para manutenção de companhia projeto “O que é que a dança é?”. 2007 - Edital FICC – Prefeitura de Campinas com subvenção para montagem do espetáculo de Dança Contemporânea “Corpo Fora”. 2006 – Edital da Caixa Econômica de Brasília, dentro do projeto “Roda Girando Diálogos  de Dança”, realizado em maio de 2007. Dirige e atua nos seguintes espetáculos: “Dança uma história?” (2013), “Cuidado que Pega” “Corpo Fora” (2007)“O que te mantém de pé” (2005), “A Bola e a Boneca” (2002), “Segunda-feira” (2000), “Ora Bolas” (Estreou em 2004 no FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica, realizado na cidade do Porto, em Portugal), “Percussão pra quem gosta” (Vencedor do I Prêmio Firestone, realizado em Londrina – PR, 1992).

Oficina Diálogo Corpóreo Musical Cênico
Com João Carlos Dalgalarrondo  e Valéria Franco
Dia 29 de outubro, domingo
No Centro de Convenções Victor Brecheret
A partir das 14 horas.
Participe!

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Vem aí o 1º Fórum Municipal de Dança de Atibaia




















De 22 a 29 de outubro de 2017 acontece o 1º Fórum Municipal de Dança de Atibaia no Centro de Convenções Victor Brecheret. O Fórum é um espaço de articulação, intervenção, troca de experiências e debate, visando a sedimentação da linguagem da dança em nosso município. O evento contará com a participação de bailarinos, professores, artistas e gestores da dança, daqui e de fora, sendo voltado aos interessados em geral. A iniciativa é do projeto As Linguagens da Dança, que completa quatro anos de atividade. Inúmeros foram os desafios para se chegar até aqui. O maior deles foi comprovar o amadurecimento deste segmento artístico na cidade, a ponto de obter a merecida atenção por parte do Poder Público. Até então nunca houve ação nesse sentido. Em Atibaia ela sempre foi representada pelo trabalho das academias, escolas, studios, que por conta própria, mantiveram os espaços de formação da dança no município. Nada mais justo, que integrar o trabalho desses profissionais ao projeto que tem como proposta o crescimento do segmento da dança no município em sua totalidade. Depois do período inicial de implantação, lidamos agora com as adaptações às mudanças das leis que regulamentam o setor cultural e sabemos dos enormes desafios que ainda virão. Para sua efetiva continuidade é adequado repensar esse processo. Essa é a função do 1º Fórum da Dança de Atibaia:
Como garantir sua continuidade?
Como estabelecer critérios quantitativos sem perder a qualidade?
Quais critérios adotar?
Como integrar a dança ao currículo escolar?
Enfim, esse é o momento de refletir, reorganizar e readequar objetivos. Profissionais de peso, de dentro e de fora do município, foram desafiados a contribuir nessa busca. A proposta desenvolvida pelo projeto As Linguagens da Dança é do Instituto Garatuja, idealizado pela educadora em dança e pesquisadora, Élsie da Costa, e só acontece graças à parceria, por meio de convênio, com a Prefeitura da Estância de Atibaia através da Secretaria de Cultura e Eventos. O Fórum é voltado aos alunos de dança da cidade, tanto do projeto, como das escolas e academias particulares; estudantes da rede publica, interessados em geral entre diversas faixas etárias, crianças, jovens e adultos.

Metodologia:

As atividades do Fórum de Dança serão dispostas nos seguintes formatos:
* Palestras com especialistas;
* Mesa de debates, com profissionais do segmento, tanto locais, quanto convidados;
* Palestras dos mesmos e roda de conversa;
* Apresentação de trabalhos artísticos;
*Workshops com os profissionais da dança envolvidos no projeto As Linguagens da Dança, e demais professores que produzem trabalhos na cidade, através de suas escolas de iniciativas privadas, ou de forma independente, proporcionando assim um estímulo a troca de experiências, convívio e mudança de paradigma, transformando a competitividade em fortalecimento do segmento.
* Atividades de formação através de oficinas de curta duração (workshops);
* Intervenções artísticas;
* Mostra de Dança de Atibaia – Temporada de Dança
*Dança Inclusiva
* Ações de instrumentalização: exibição de acervos de material referente ao estudo, ensino e apreciação da Dança, do IAC Garatuja, bem como acervos pessoais dos professores envolvidos no Fórum. Levantamento de material bibliográfico necessário  para aquisição do município (através das secretarias pertinentes : cultura, educação) para acesso à população em geral, através de acervo na biblioteca municipal.

Programação:

21/10 – Sábado – 17h e 20h

Mostra de Dança Moderna / Escola e Corpo Municipal de Dança

22/10 – Domingo
1º Fórum de Dança de Atibaia
13 h Cadastramento 2
14 h Abertura
15 h e 30m Palestra com Inês Bogéa da São Paulo Cia. de Dança
16h e 30m Intervalo
17 h Workshop – São Paulo Companhia de Dança

23/10 – Segunda Feira
19 h – Grupo de Trabalho para Elaboração do Plano Municipal de Dança
(Local a definir)

Workshops
24/10 – terça
9h – Dança do Ventre com Taya Perrone
10h30h – Dança Lírica com Claudia Parolin
14 h –Introdução ao Ballet Clássico Pela Metologia Vaganova com Hely Calzado
16h – Detalhando Um Tema de Balé de Repertório com Tassiana G.R. Alves
19 h – GT sobre a Dança Moderna (sistemas métodos e técnicas)

25/10 – quarta
9 h – Iniciação ao Sapateado com Irany Sguillaro
10:30 h – Noções Essenciais do Balé – Marcela Sguillaro
14h – Floor Barre com Heydi Milhose
16 h – O Balé com a Técnica Royal – Danielle Sakurai
20h – Mostra de Danças de Atibaia – Temporada de Dança

26/10 – quinta
9h – Danças Ciganas da Índia com Andrea Albergaria
10h 30m – Vivência por Bulerias com La Cubanita (Dança Flamenca)
14 h – Entendendo a Dança Moderna na Prática com Claudio
16 h – Aperfeiçoamento da Técnica Clássica com Thais Magalhães

27/10 – sexta
9h – Balé e Ludicidade com Mayara Pinzan
10h e 30m – Ludodança, Brincadeiras Dançadas e Danças Brasileiras – com Élsie da Costa
14 h – Dança Afro Contemporânea com Chris Alcantara
16 h – Jazz dance com Michele Maidame
18h - GT Metodologias de Clássico

28/10 – sábado
9 h – Dança com Pessoas com deficiências com Keyla Ferrari
14h – Gestualidade, Dança e Música Brasileira na Cultura da Infância, com Lucilene Silva da OCA e Casa Redonda.

29/10 – domingo
10 h – Ações Corporais Básicas (Sistema Laban) com Élsie da Costa
14 h – Diálogo Corpóreo Musical Cênico com Dalga Larrondo e Valéria Franco do TUGUDUM (Campinas)

Obs. Programação sujeita a alteração.



quarta-feira, 19 de julho de 2017

2o Panorama de Dança começa dia 29







































Nos próximos finais de semana acontece o 2o Panorama da Dança 2017. Criado em 2014, seu objetivo é proporcionar a troca entre os envolvidos na área da dança de Atibaia e região, criando oportunidade para que diferentes profissionais, e seus respectivos alunos, se relacionem de forma integrativa. O evento, como na edição anterior, acontece no Teatro de Bolso do Garatuja, com capacidade para 40 lugares. Os ingressos custam R$20,00 e já está a venda.

Programação:

29 de julho, sábado, 19hs

VII Aires de España - 40m
Concepção / Direção: La Cubanita
Espetáculo que se utiliza das diversas linguagens artísticas para desnudar a cultura de um povo marcado pelas grandes transições épicas.
Elenco: Claudia Parolin, Flavia Paradela, Leandro Tavares, Vanessa Veja e Jackson Murifran (convidado)

Passagem –10 m
Coreógrafo: Claudio Terrana.
Nos caminhos que se cruzam, diante dos obstáculos que se impõem,  sempre tem uma passagem que vai de lá  pra cá e daqui para acolá.
Elenco: Ana Campos, Camila Barbosa, Fátima Cavalcanti, Juliana Franco, Juliana Lopes, Larissa Andrade, Letícia Pereira, Ligia Borghi, Regina Vialle e Taiana Ferraz.



















30 de julho domingo 19hs

Escola do Futuro - 7m
Coordenação coreográfica: Élsie da Costa
Estudo com base nos fatores de movimento propostos por Laban, as crianças encontram seus momentos de improvisar e criar em liberdade seus movimentos e gestos em sintonia com o percussionista.
Percussão: Vitor Zago
Elenco: Ana Clara A.de Oliveira , Bianca P. Lobato, Felipe Batista dos Reis, Jaqueline Maia N.Silva, Marina B. Cardoso, Marcella Prado, Nina M. Peruci, Paulo Vinicius R. Andrade, Sofia L. Russani, Sophia C. Borges, Thais L. Cunha e Yasmin B. Paes.

















Viração - 10 m
Circulo da Dança do Ventre Holística
Coreógrafa e dançarina: Amrita Kaur
Vira pra lá, vira pra cá...vira de um lado, vira do outro...canção vira emoção que vira movimento. Viração vira ação das asas do coração.
Música: Viração – Karine da Cunha
























Romance
Música: Tum Hi Ho Aashiqui 2 – Anna RF
Música que toca no sentir faz exalar romance no ar.  Tic Tac da espera... Tum Tum do coração. O desejo...a saudade... a magia do encontro! Afeto... Entrega... Deleite...Inspiração.
Música: Tum Hi Ho Aashiqui 2 – Anna RF

























Variação de Raymonda - 4 min
Coreografia: Marius Petipa.
Música: Alexander Glazunov.
Adaptação coreográfica: Thaís Magalhães                    
Do Ballet em 3 atos escrito por Lydia Pashkova e Marius Petipa.
O 3 ato se passa no  Palácio de Jean de  Brienne. Uma grande festa é celebrada para comemorar o casamento de Jean e Raymonda.

























Vai-o-Vento -
Pesquisa, criação e atuação: Paula Ibañez
Sobre o vento: Às vezes brisa leve, às vezes forte ventania que me leva ao encontro de espaços. Dentro e fora. Revela-se, e a mim, no sopro, no instante, aquilo que sou, e o que não sou. Constrói-se no espaço/tempo comum, o incomum, o outro, o mágico (ou não) des-tempo. Vai, oh, Vento! Vayu, o vento! Sopra e leva embora aqui que já não pertence, sopra e traz pra perto aquilo que se desconhece.
Paula Ibañez: é bacharel em Artes Cênicas, Mestra em Artes da Cena e doutoranda do Instituto de Artes da UNICAMP. É autora do livro “ Kalarippayatt, uma via para a expressividade” (Ed. Prismas) e de vários capítulos em outros livros onde discute a relação da prática psicofísica e a cena.
Parceria Musical: Fabio Andrade
Foto: Cleiton Pereira



















Cernunnos
Coreografia: Amrita Kaur
Reverência à divindade celta protetora dos animais, representante das estações do ano como expressão do ciclo vida, morte, renascimento. Relação imagética e simbólica da cabeça dos animais cornudos com o útero e as tubas, a criação e os ciclos da vida. Quanto mais profundas as raízes na terra, mais se alcança as bênçãos dos céus.
Música: Cernunnos - Omnia

















Viagem na própria Terra -10 m
Dirigido por Cláudia Parolin.
Viagem na própria terra " em busca do quarto caminho" as dançarinas da cia nuaar representam as três esferas shariat, tariqat e marifat ou seja a tradição, compreensão interior e a iluminação.
Elenco: Erika Sahlam, Juliane Zanona e Valéria Capeto.

















05 de agosto, sábado, 17hs

Vídeo Dança - 20 m
Coordenação e concepção: Élsie da Costa
Corpo Municipal de Dança
Elenco: Flora P.A. Oliveira, Laíse Cunha, Letícia Pereira, Marcella Prado, Marina Cardoso, Taiana Ferraz e Isaac J. R. Anchante.

Virtus - 20 m
Direção: Taya Perrone.
Concepção e Coreografia: Taya Perrone e Valéria Capeto.
Interpretes: YinContrar-se Dança do Ventre (Work in progress )
Elenco: Christiane Oréfice, Eliane Hirata, Evelin Rangel, Natália Sofie Von Bülow, Suzana Serrano.
Com a participação do grupo da Oficina de Bem-Estar Cras Tanque e Boa Vista, em parceria com espaço Crescer. Elenco: Maria Nívea Elizardo, Nair Gabarrao de Moraes Siqueira, Antônio ia de Fátima Barbosa, Efigênia Terezinha Ferreira, Patrícia Vital, Márcia Isabel Mari, Priscila Meirelles, Maria Aparecida Beneton, Márcia Carvalho, Efigênia Assis e Helena Varga.
Abrir portas para a visita das Deusas e suas virtudes, é,  também,  abrir os olhos para o nosso interior, e incita a pergunta: Em tempos de tanto Caos, cegueira e transformação,  aonde habitam minhas próprias forças?




















05 de agosto, sábado, 19hs

Carcará - 30 m
Intérprete: Vinicius Pianca
Direção: Mariana Baruco
Vídeo: Maurício Ribeiro
Equipe de produção: Letícia Bérgamo
O solo é resultado da pesquisa de Iniciação Científica realizada no curso de graduação em Dança - Unicamp, por Vinicius Pianca e orientada pela Profª Drª Mariana Baruco. Baseado no conto "Sarapalha" de Guimarães Rosa, o universo onírico é trazido à cena pela malária e suas reverberações alucinógenas. Na apresentação memória e fantasia se misturam, dando à realidade aspectos fantasiosos.

















Raksha Bandhan é um festival indiano no qual as pessoas amarram pulseiras nos braços umas das outras, simbolizando laços de amizade e amor.  Hoje é o dia na Índia que acontece essa comemoração, e assim a Devi - cia de dança indiana representa através da dança Odissi e poesia, esse festival.
Devi - cia de dança indiana, formada por alunos de dança Odissi da professora Andrea Albergaria, e convidados eventuais, tem como principal característica o diálogo entre outras linguagens com a dança teatro tradicional Odissi, contextualizando o ancestral na cena contemporânea.
Repertório Odissi -  intérpretes:  Veena Carmen Fournier & Lúcia Minozzo
Poesia em movimento:
Adriana Zamarim
Andrea Jordão



















06 de agosto, domingo, 19hs

Batuque de Okan – 30 m
Coreografia: Entrando em Cena
Batuque de Okan é um grupo de estudos de Cultura popular brasileira fomentado pelo Instituto Entrando em Cena. Okan em Yorubá significa coração, alma. Reúne integrantes de todas as idades e gênero como ocorre na própria cultura popular; no momento estamos pesquisando o Jongo e trazendo ao público um pouco da identidade brasileira através do resgate da tradição e da inovação do próprio grupo. A interação com o tempo, a mãe natureza e a conexão se dá pela brincadeira, pela roda e pela vivência cotidiana.





















quinta-feira, 8 de junho de 2017

Projeto As Linguagens da Dança 2017 está com inscrições abertas.


















Criado em 2014 para fomentar o segmento da dança em Atibaia, o projeto As Linguagens da Dança, no quarto ano de atividades, é uma parceria entre o Instituto de Arte e Cultura Garatuja e a Prefeitura da Estância de Atibaia, através da Secretaria de Cultura e Eventos. O projeto oferece a formação continuada em dança através de três eixos: Educando Através da Dança, Escola Municipal de Dança e Corpo Municipal de Dança.

Educando Através da Dança.
Nesse ano o eixo Educando Através da Dança irá atender diretamente em torno de 275 crianças em oito escolas municipais, com dança educativa, cultura da infância, danças lúdicas, balé, percussão e dança da cultura local das Congadas Mirins. Também se inclui formação com professores da rede em HTPCs e formação com monitoria assistida. A partir desse ano também serão atendidos em torno de 75 participantes entre crianças, jovens e adultos, do Centro Comunitário dos Complexos Habitacionais Jerônimo de Camargo, no bairro Caetetuba, com oficinas de hip hop, danças brasileiras, percussão e danças lúdicas.

Escola Municipal de Dança.
Serão atendidos aproximadamente 60 participantes em: Grupos de treinamento sistematizado e cursos livres de curta duração para crianças, jovens e adultos, com um programa de aulas diversificadas, incluindo-se a dança clássica, a moderna e a contemporânea, danças nacionais e internacionais das culturas tradicionais, domínio do movimento (Sistema Laban), consciência musical para bailarinos, estudos com práticas experimentais criativas, ensaios e estudos para formação de monitorias. A grade de aulas será composta de acordo com os níveis de conhecimento, bem como experiências profissionais do interesse dos jovens. Trata-se de curso/escola, em que o participante terá que cursar diariamente as aulas, conhecendo diferentes modalidades.

Corpo Municipal de Dança.
Esse é o principal eixo do projeto As Linguagens da Dança. Formado por jovens que estejam num nível mais avançado. O Corpo Municipal caminha para a sedimentação de um grupo estável com repertório que vai do balé clássico ao contemporâneo, incluindo danças populares, tradicionais e outras.  Para o Corpo de Dança é fundamental o treino diário, entre aulas e ensaios, diferenciando-se das propostas “academicistas” ou de oficinas onde não acontece o comprometimento em grupo. O Grupo é composto com os bailarinos e bailarinas da cidade que já possuam conhecimento em dança clássica e outras linguagens. Para participar é preciso se inscrever, apresentar um currículo. É feita uma entrevista onde um dos principais critérios é a disponibilidade de participação integral nos treinos e ensaios. Os selecionados passam a ter aulas diárias com diversos professores e coreógrafos, tanto de academias como de trabalhos independentes, que contribuem na preparação técnica e artística do grupo. As aulas estão acontecendo no Instituto Garatuja, mas em breve passarão para um espaço público disponibilizado pela Prefeitura.

Fórum, Temporada de Dança e workshops.
Neste ano, quarta etapa dos programas de ação previstos desde 2014, será incluído o 1º Fórum de Dança, como  momento de reflexão do projeto com uma programação composta por palestras, mesa redonda, apresentações com os professores, aula espetáculo, etc. Desse fórum sairá as demandas do segmento para o Plano Municipal de Cultura, assim como um plano de aplicação de metodologias para a Escola Municipal de Dança , que se pretende municipalizar em breve. A Temporada de Dança se constitui num período em que as escolas de dança se apresentam no final do ano e o que se pleiteia é a oficialização e inclusão no calendário de eventos da cidade. As mostras de resultados, apresentações e workshop são fundamentais: São eles os verdadeiros objetos do projeto, materializados nos produtos finais de todo movimento expressivo desta arte, como as performances, coreografias, espetáculos de repertório clássico e moderno.

Histórico.
A ideia de se ter na cidade uma escola de dança publica já é antiga. Há muito tempo Atibaia comporta um grupo/escola nesses moldes apresentados. No entanto, as iniciativas da dança se apresentavam isoladas sem uma preocupação de atuação em classe e de crescimento e reflexão. A insistência em se realizar um projeto como este já acontece desde 1987, quando foi realizada, nesta cidade, por iniciativa da proponente Élsie da Costa, a primeira Oficina Municipal de Dança, de participação gratuita, na Biblioteca Pública Municipal, durante a gestão do prefeito da época, Gilberto Sant'Anna. Nada mais justo, numa época em que as condições para o desenvolvimento da Cultura se desenvolveram mais amplamente, que se considere aqueles que durante todo esse tempo se dedicaram, persistentemente neste objetivo na cidade de Atibaia. Cabe dizer, que esse formato diversificado, e aplicado de forma conjunta, vem sendo implantado pelo Instituto Garatuja há vários anos, mesmo antes de ser apoiado pela Prefeitura. Mais recentemente, com o apoio por meio de convênio, a proposta vem ganhando maior notoriedade na cidade, sedimentando sua permanência. O projeto de convênio iniciou em setembro de 2013, como piloto, e passou a vigorar de forma integral a partir de 2014. Por ser um programa de continuidade, foi desenvolvido em etapas ano a ano. A continuidade deste projeto se justifica pela configuração como um Programa de Ação, no qual já foram investidos recursos públicos, que teve um visível desenvolvimento no curto espaço de quatro anos, merecendo sua permanência. Mais que isso, a preservação de suas linhas e metas originais. Segue uma tabela demonstrativa do aumento de sua abrangência, desde seu início. Em relação ao custo per capita ele é igual ou superior a outros projetos culturais similares desenvolvidos na cidade.















Participe você também.
Para esse ano as vagas já estão disponíveis e as inscrições podem ser feitas na sede do Instituto Garatuja: Rua Esmeraldo Tarquínio, 346 – Jardim Tapajós – Atibaia SP. O horário de atendimento é de segunda a sexta, das 14h às 19h. O telefone é (11) 4412 9964. O interessado devera trazer para inscrição: cópias simples de RG e CPF do responsável, Comprovante de Residência e declaração da escola onde estuda. As vagas serão preenchidas por ordem de chegada.

terça-feira, 2 de maio de 2017